ESCLARECIMENTO

No ano de 2017, os principais meios de comunicação do país, publicaram que o Soberano Santuário da Maçonaria, representa “Ala Liberal” da Maçonaria, o que isso significa?

Democratizar o ingresso de pessoas boas, sem olhar o que elas têm, é nossa ideologia. Representamos a Maçonaria que respeita à adversidade humana, seja ela econômica ou cultural. Não fazemos seleção com base no cadastro econômico do candidato(a) e recebemos em igualdade de condições, homens e mulheres. Em resumo, pelo simples fato de praticarmos na íntegra os princípios universais de Liberdade, Igualdade e Fraternidade, a iniciação de novos maçons se multiplica como o Milagre dos Pães, no Soberano Santuário da Maçonaria e talvez, por esse motivo, nos denominam de ‘Ala Liberal da Maçonaria’. Somos a Maçonaria de Hoje: Inclusiva, Eclética, Ecumênica, Evolutiva, pela integração sem discriminação.

Para ser um associado(a), ou seja, receber os ensinamentos e tornar-se maçom no Soberano Santuário, o que é preciso?

O critério principal para ser admitido(a) no Soberano Santuário da Maçonaria é ser uma pessoa de bem. Observamos o coração de cada pessoa e o que dele se revela em suas atitudes. Conta bancária e escalada social não aumentam nem diminuem a importância do ser humano para nós. Preocupamos quando um ou esses dois estágios são atingidos e não se traduzem na ação maçônica. Homens e Mulheres, independente de religião ou classe social, podem conhecer e participar da Maçonaria através do Soberano Santuário.

A participação das mulheres sempre foi vetada na maçonaria tradicional? É um diferencial do Soberano Santuário inclui-las? E por que essa opção por dar espaço a elas?

Tradicionalmente, todos podem ser maçons, na história da maçonaria vemos notáveis mulheres maçons em toda as épocas. A Maçonaria se destina igualmente ao homem e à mulher, complementos que são um do outro. Em Maçonaria a questão da “regularidade e reconhecimento” ainda é uma das mais espinhosas que existem para os maçons brasileiros, no entanto, um ponto a observar é que a regularidade de trabalho não é o mesmo que reconhecimento, ou seja, uma parte dos maçons tradicionais ainda insistem em não reconhecer o trabalho regular de Lojas Maçônicas que possuem este diferencial de proclamar que homens e mulheres são livres e iguais em direito, então, não é uma opção de ‘dar espaço à elas’ é cumprir e fazer cumprir o artigo 5º da Constituição Federal que informa: homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações.

Qual Rito Maçônico é praticado no Soberano Santuário?

É importante esclarecer que no Soberano Santuário da Maçonaria nós praticamos o Rito Egípcio que como em qualquer rito maçônico é estruturado em graus, porém nosso estudo contém um total de 99 graus (os demais ritos tradicionais estudam no máximo 33 graus maçônicos), o ensinamento maçônico é universal, no entanto no Rito Egípcio também denominado de (Rito Memphis-Misraim / Memphis:  Cidade do antigo Egito), o percurso iniciático vai além, assim sendo, o Grau 33 que é o ápice na Maçonaria Tradicional em nossas Lojas Maçônicas representa apenas uma passagem nos graus maçônicos de aperfeiçoamento.

Levar ensinamentos da maçonaria para a televisão tem qual objetivo?

Na maçonaria existem ritos com formações diferentes, no entanto, de modo geral, pouco ou nada é mostrado ao candidato antes da admissão, ele entra sem saber o que vem depois. Através do Programa Maçonaria na Tv, ofeceremos uma estrutura pedagógica inspirada no fascinante complexo de ensinamentos das tradições antigas, que é o Rito Egípcio. Também sempre explicamos que a maior parte das alegorias e dos símbolos maçônicos foi retirada da Bíblia, a palavra revelada de Deus.  Em momentos de turbulência interior é natural a fé se enfraquecer. No programa da tevê a apresentadora Bianca Moreira da Silva tem como principal foco levar mensagens de luz, força espiritual para você prosseguir na caminhada. Desde o início dos nossos trabalhos maçônicos, nós propagamos este ensinamento, nos mais diversos meios de comunicação, pois nossa missão é colaborar na evolução da humanidade de modo que as pessoas vivam melhor e evoluam, individual e socialmente.

O que motivou os fundadores Samuel M. da Trindade e Bianca M. da Silva, à desenvolverem este trabalho?

Em maçonaria, falamos que já renascemos (ou nascemos como maçom); em templo somos absolutamente iguais, sem distinção de privilégios que a sociedade confere, não ostentamos diplomas, pois também não selecionamos apenas alguém diplomado ou rico para compor os quadros de obreiros, pois acreditamos que o processo de evolução é gradual e contínuo. Assim também cresce a Sublime Ordem. Os símbolos serão sempre os mesmos, o que mudará constantemente é a interpretação humana deles. Iniciamos a jornada, abençoados pelo Céu. Estamos reunidos para honrar os Deuses, os espíritos da natureza e recordar nossos antepassados, através dos ensinamentos maçônicos. Seguimos avante motivados nesta missão pois fomos guiados a este caminho, está escrito na Bíblia que denominamos de ‘Volume da Lei Sagrada’ em São João 15:16 “Vocês não me escolheram, mas eu os escolhi para irem e darem fruto, fruto que permaneça”.

O Templo Sede Nacional está localizado em uma construção de estilo medieval ‘um castelo’ na região metropolitana de Curitiba, na cidade de Campo Largo/Pr. O que representa esse estilo arquitetônico?

A origem mais aceita para a Maçonaria, segundo a maioria dos historiadores, é que descende dos antigos cortadores de pedras, que tinham como ofício a arte de construção de castelos, muralhas, etc. No alto da construção do Castelo em Campo Largo/Pr, você vê duas gárgulas pois acredita-se que as gárgulas eram colocadas nos Castelos e Catedrais Medievais para indicar que o mau nunca dormia, exigindo a vigilância contínua das pessoas, mesmo nos locais sagrados. Assim em resumo, a construção representa “vigilância” e “perseverança”, duas palavras que guiam os maçons em todo o mundo. O Castelo representa ainda a ‘fortaleza’ pois nossa construção suporta as dúvidas, aquece o frio dos medos, encoraja os sonhos e liberta pensadoresVenha Reinar Conosco!

No ano de 2018, alguns meios de comunicação do país, publicaram reportagem atribuindo ao Soberano Santuário o título de “maçonaria facilitada”, citando que a facilidade de filiação, no Soberano Santuário diverge da maçonaria tradicional e, que o fundador Samuel Mineiro da Trindade, que hoje discorda dos procedimentos adotados em ‘lojas maçônicas tradicionais’, já fez parte dela. 

O entendimento comum é de que a origem da Maçonaria “se perde na noite do tempo”, porém é importante lembrar que a estrutura e regras da Franco-Maçonaria, como a grande maioria conhece hoje, estabeleceu-se à aproximadamente e tão somente 300 anos, por volta de 1717 à 1721 e, neste período, infelizmente a palavra tradição se confundiu com monopolização e discriminação, inclusive com as mulheres e os menos abastados, ais quais segundo consta, na maçonaria tradicional enfatizada no Brasil, não podem e não devem terem acesso aos ensinamentos de paz, felicidade e ajuda mútua. Tradição não pode ser monopolização e nem mesmo petrificação. Os ensinamentos maçônicos no Soberano Santuário contêm um total de 99 graus que remontam à mais alta antiguidade, inclusive revivendo a História do Antigo Egito em época a.C. (portanto não estamos falando apenas da história da maçonaria que se estabeleceu nestes últimos 300 anos e se intitula 'tradicional'). Para a fundação do Soberano Santuário não buscamos cisão, nem discórdia, crescemos internamente e externamente de forma sólida graças ao contínuo trabalho que desenvolvemos individual e coletivamente na busca incessante de uma identidade perdida pelas organizações maçônicas tradicionais, buscando encontrar usos, costumes, valores e ética, esmaecidos pela falta de prática e, pelo fato do Soberano Santuário democratizar o ingresso de pessoas boas na instituição, nos denominam de ‘Ala Liberal da Maçonaria’ ou ‘Maçonaria Facilitada’. Para o maçom bem formado em seus princípios, esses adjetivos, longe de serem uma ofensa, é um reconhecimento à nossa ideologia. Os maçons filiados ao Soberano Santuário não se acovardam diante desta ou daquela outra Potência Maçônica que se julga Plenipotenciária dos Direitos Universais sobre todas as outras Potências Maçônicas do País ou do Mundo, ditando-lhes regularidades. Relembramos que Tradição não pode ser monopolização e nem mesmo petrificação. O Soberano Santuário é uma história viva. 

Os meios de comunicação publicaram acusações diversas em relação aos fundadores Samuel M. da Trindade e Bianca M. da Silva, alguns veículos de comunicação também publicaram uma resposta do casal em que ficava subentendido essas acusações como uma forma de desabonar a honra e a moral. De modo geral, qual a defesa dos fundadores em nome do Soberano Santuário?

A provável insegurança dos Dirigentes da Maçonaria Tradicional diante da iniciação de novos maçons que no Soberano Santuário da Maçonaria se multiplica como o Milagre dos Pães, fez com que covardemente imputassem falsas acusações, no entanto isso nunca foi para nós novidade alguma, aliás desde a fundação da nossa Ordem Maçônica, somos frequentemente atingidos por injustos desgastes morais provocados pela inquisição falsamente silenciosa, eventualmente alguns detratores se unem, intensificando então uma verdadeira ‘caça às bruxas’. Nossa defesa é a nossa união, pois nossa Ordem Maçônica resistiu, resiste e sempre resistirá aos ataques de toda ordem, falsas acusações, não desabonam nossa moral e dignidade. Infelizmente para o difamador no desespero vale tudo. 

Samuel Mineiro da Trindade e Bianca Moreira da Silva são casados desde o ano 2004, pais de dois filhos, almas de incomparável nobreza e com humildade no coração afirmam que vivem na mais completa e perfeita paz, confiam na Justiça Humana e Divina. A verdade sempre prevalece! 

Intolerância religiosa e de liberdade de expressão é um termo que descreve a atitude mental caracterizada pela falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar diferenças ou crenças religiosas e filosóficas de terceiros e infelizmente têm sido comuns através da história. A maioria dos grupos religiosos e movimentos filosóficos já passaram por tal situação numa época ou noutra. Floresce devido à ausência de tolerância religiosa, liberdade de religião e pluralismo religioso. Perseguição, neste contexto, pode referir-se a prisões ilegais, difamação injustificada, negação de benefícios e de direitos civis, entre outras coisas.

A luz nada teme e segue avante com firmeza de propósito, resplandecemos e ofuscamos as trevas, os fatos e a verdade que transparece em nosso trabalho diário, falam por si só, "nunca cessamos nosso labor", sobrevivemos as noites de tempos imemoriais.

Não estamos aqui para convencer, não teremos jamais a menor intenção em convencer ou converter alguém, seguem conosco somente aqueles que sentem ser uma passagem segura e só permanecem os escolhidos pelo Sagrado Grande Guardião da Luz! 

"Se a tua curiosidade aqui te conduzbem-vinda seja a tua curiosidade." 



Para mais informações click aqui e faça leitura na versão pdf


< voltar para a página principal >